sábado, 26 de dezembro de 2009

Radio Philips Matador

Alô Meninos......

Enfim, vou reproduzir um texto que estava no meu outro blog, mas as fots nunca abriram para os internautas e, esta, foi uma das razões pela qual mudei para o Blogspot. Outra razão, foi a facilidade de buscas que o Blogspot nos dá e, principalmetnte hoje, pela nossa Rádio Web.
Sem mais delongas, aí está o texto para o Rádio Matador e as fotos...

O famoso rádio El Matador V6ª..quem nunca ouviu falar desses rádios??? São bonitos, mais ou menos raros e, conhecidamente, o terror dos técnicos do passado....

No Rio de Janeiro, na década dos 40, houve um Bonde que foi pintado de Amarelo, para ser um pouco mais destacado, visto que este bonde, circulava à noite.

Como era comum as pessoas se esquecerem do Bonde e circularem livrementes sobre o trilho, pronto!!! La vinha o Bonde e mandava o sujeito para o hospital....daí o Bonde passou a ser chamado de "Terror-Amarelo", em alusão aos japoneses, que na Segunda-Grande Guerra, com uniformes Amarelos, já bancavam os Kamikazes...o que obviamente, surprendeu os adversários Além disso, para consolidar o nome ao bonde, o filme Terror Amarelo, exibido em 1944, mostrava os ataques suicidas dos Japoneses.

Bem, voltemos um pouquinho para o rádio:

Lançado em 1935 na Europa e, em 1938 no Brasil, são pequenas as diferenças entre os rádios. Basicamente as diferenças estão no dial....onde os Europeus têm os nomes das estações escritos e o jogo de valvulas. (o Europeu usa as seguintes valvulas: AK1-AF2 – E446 –AB1- E443H- 1826, enquanto que o parente Tupiniquim, usa AK2, AF3, ABC1, AL4 e  AZ1.

Todos têm cobertura de faixas semelhante, que vão desde LW à Ondas Curtas.

Seu aspecto interno assusta qualquer um, que na primeira olhada diz:

Esse "trem"não tem chassis???

* Não, não tem!!! Suas valvulas são dispostas na caixa..toda montagem é feita em volta da caixa na parte interna. Suas valvulas eram muito diferentes para a época e avançadas também: AK2-AF3-ABC1-AL4 e AZ1, todas com 4 volts de filamento, com exceção do Matador V6-U, cujas valvulas são em série e bem diferentes deste, NÃO usando transformador de entrada de energia e usando as seguintes valvulas: CK1-CF3-CL4-CBC1-CY1-C8 ou C9. Valvulas que meus amigos radio-técnicos deveriam, naquela época, encontrar em qualquer farmácia(ou, pela época Pharmácia) de plantão.,..heheheheheh.

Veja o diagrama em bloco do bicho:




Vale lembrar, que se não fosse uma campanha ferrenha da Revista Antenna nas décadas de 30 e 40, jamais teríamos os esquemas desses radios no Brasil. Isso porque a Philips e outras marcas, se negavam em fornecer o diagrama dos radios. Mandavam apenas para as Oficina Especializadas e com um carimbo: Conffidencial.

Quando o pobre técnico, habituado a consertar Douglas, rabo-quentes e radios Americanos de facil construção, se deparava com um "bichão"desses, tomava o maior susto... e sem o diagrama original, cometia as maiores barbáries no circuito.

As FI’s "não tinham ajuste" os capacitores escondidos...valvulas de dificil aquisição e mais... todos os fios de uma cor só: Amarelo....nossa, como esses rádio-técnicos sofreram...Daí o apelido, nada simpático, de Terror Amarelo, ao pobre rádio El Matador.

Construído com um design que lembra um teatro ou grande cinema, dizem que o nome foi uma alusão à um toureiro muito famoso...que na decada dos 30 tornou-se um herói Espanhol: Emílio Mendez.

Este é o Matador Europeu:




No Brasil esses radios são mais raros e como não há um comércio certo, o preço atinge R$1.800,00 a R$2.000,00 quando o radio esta em bom estado e, isso, não implica o rádio funcionar....

Pelo mundo, seu preço pode atingir uns 250 Euros...boa diferença, não???

O que hoje em dia nos deparamos, quando vai ser feita uma Restauração, são radios com fios quebradiços, resistores sem identificação, capacitores aberto ou em curto... e uma montagem bem destruída pelos "fuça-fuça"ou Oidar-Técnico, uma forma inventada pela querida revista Antenna para chamar os Pés-de-porco que entravam à Valentona e mais destruíam que consertavam... em minhas andanças conheci muitos....(veja que Oidar é Rádio, ao contrario...)

Agora vocês vão entender o que geralmente encontramos, quando tiramos a tampa(quando ainda tem) de um Matador...




Esse é um U, raro no Brasil, que meu amigo Anibal mandou foto...esse ainda estava muito bem conservado...

O fato é, mesmo se fossem bem reparados e respeitados os valores originais, varios outros fatores poderiam prejudicar o funcionamento desses radios nos dias de hoje. Os fios, uma mistura emborrachada, quase sempre estão destruídos, ou quando o radio está muito conservado, você poderá observar que os fios amarelos estão trincadinhos..ao leve toque, se rompem....

Eu raramente vi transformadores da Philips encrencados...mesmo tomando verdadeiras "chupadas"de eletroliticos danados, os Transformadores Philips sempre tiveram vida extra, o mesmo não pode se dizer de seus capacitores. Com uma espécie de betume são recobertos e quase sempre já subiram ao céu.

A solução para os eletrolíticos é simples: Cirurgia. Opera-se os velhos, enfiando novos elementos, de boa isolação, no interior dos antigos.

Nos demais, não tem muita solução...o negócio é trocar. Eu cheguei a fazer uma forminha para recompor os capacitores antigos...não deu certo...mas ainda não desisti...

Meu cliente, Dr. Rodrigo, que vai ser Pai esse ano, mandou um Matador para restauração. Curiosamente, é o único que tenho fotos, pois ele me mandou. Até Março deste ano de 2006, eu não me preocupava em fotografar os radios em que mexi...e olha...foram tantos....

Vejam o resultado da restauração:





Depois desse, completo eu fiz mais um...do meu cliente Sandro...desta vez, aqui, incluo as fotos desse 2o> Terror Amarelo V6A.







Estou fazendo um Matador meu...um ultimo detalhe que vale a pena ressaltar é que a construção foi MUITO futurística para a época... seu formato frontal imitava um teatro ou cinema da época... eu acho esses rádios Lindos e Nostálgicos...acredito que seja ainda o unico ser vivo capaz de desmontar um inteiro e monta-lo de novo, incluindo a complicadíssima parte de RF deles. Há um capacitor que fica escondido embaixo do capacitor variável, de .02uFDX400V.. Quem já trocou esse capacitor ou mesno já restaurou um radio desses, sabe o sufoco que é...A "cordinha" só é re-colocada, com a parte de madeira fora da caixa....ou seja, não é atoa que este foi, no passado, o TERROR AMARELO... :~)
Pena eu estar parando de restaurar essas coisas....SNIF!!!!
Officina do Rádio Antigo.
(16)3412-6692
officinadoradio@gmail.com

Um comentário:

Luiz Nicoletti disse...

por que está '' parando de restaurar essas coisas....SNIF!!!! '' ????????